Um poema do Antônio Ducarmo Santos

Como é do conhecimento até do Reino Mineral, sou membro de igreja evangélica, batista, há 41 anos. 
Ontem foi realizado o culto de aniversário na igreja que sou membro. Solenidade muito bonita e edficante.
Mas prenhe de reflexões! 
Um grupo de cântico de outra igreja, convidado para o culto de aniversário, cantou uma música belíssima!
Destaco uma frase: "O Reino de Deus consiste em misericórdia, justiça e igualdade ".
Aqui começam as minhas inquietações.
Como posso falar, cantar, sobre misericórdia, justiça, igualdade e defender um candidato que é radicalmente contra tudo isso?
Como posso cantar, falar, sobre misericórdia, justiça, igualdade, se defendo que bandido bom é bandido morto?
Como posso falar, cantar, sobre misericórdia, justiça, igualdade, se comemoro a morte de qualquer ser humano?
Como posso falar, cantar, sobre misericórdia, justiça, igualdade, se não defendo os mesmos direitos que tenho, pra comunidade LGBT?
Como posso falar, cantar, sobre misericórdia, justiça, igualdade, se me conformo com as injustiças sociais, quando a Bíblia é um tratado sobre justiça social? 2008 versículos defendendo justiça social! 
O evangelho é subversivo! 
Maria, a subversiva mãe de Jesus, no seu magnífico cântico, proclama: "fartou os pobres de pão e despediu os ricos sem nada".
Querem revolução social maior que essa?
A comunidade evangélica precisa refletir no que fala e no que canta.
A música é belíssima! Exprime uma verdade indiscutível! 
"O Reino de Deus consiste realmente em misericórdia, justiça, igualdade ".
Afinal, Jesus Cristo é o mestre do amor, da misericórdia, da justiça. 
O problema é que: "Leres e não compreenderes, é melhor não leres."

Aracaju, se, 26 de agosto de 2019.

Antonio Ducarmo Santos.

Um Paraíba iletrado. Petista, batista, humanista, feminista!