O preço do gás vai cair 2.0

 Olá meus amigos e amigas,

Este artigo está dentro do assunto do anterior (https://www.claudionunes.com.br/l/o-preco-do-gas-vai-cair/), porém não é uma continuação e sim um aprofundamento. Deixo como sugestão, caso não tenha lido o artigo anterior, que faça a leitura.

Falar sobre a distribuição de derivados do Gás Natural - GN, é a mesma coisa que falar do papel da LiquiGas em nosso país.

Esta empresa foi criada na Itália, antes da Segunda Grande Guerra Mundial, e foi uma das pioneiras da exploração comercial do GLP para uso doméstico. Em 53, com sua política de expansão para além da Itália, criaram as empresas regionais com parcerias com investidores brasileiros.

Nesta época somente existiam duas empresas que atuavam como evazamento e distribuição de GLP para uso doméstico.

Em 1970 no meio da crise do petróleo, a LiquiGas comprou a HelioGás. Dez anos depois, a empresa pública italiana Agip (Grupo ENI) comprou a LiquiGas, se tornando uma subsidiária. Já em 1984, a LiquiGas chega no nordeste do país, com a criação da NovoGás, e em 1991 chega no norte do país com a compra da Tropigás.

Um fato importante em relatar é a privatização da ENI em 1995, que era proprietária da Agip.

A partir de 1997 a LiquiGas se tornou a única dona da NovoGás e TropiGás. Em 1998, 2000 e 2001 a empresa ingressa na distribuição de combustíveis, entrando neste mercado.

Notícia da Folha sobre a compra da Liquigas pela BR Distribuidora.  Trecho destacado sobre o motivo da compra, que deixa em contradição do motivo da venda agora em 2019.
Notícia da Folha sobre a compra da Liquigas pela BR Distribuidora. Trecho destacado sobre o motivo da compra, que deixa em contradição do motivo da venda agora em 2019.

Em 2004, a LiquiGas foi adquirida pela BR Distribuidora, junto a Agip (Grupo ENI), por 450 milhões de dólares. Nesta época a empresa tinha o lucro de 40 milhões de lucro.

Em 2012, a LiquiGas se tornou subsidiária da Petrobrás e não mais da BR Distribuidora.

Outro dado importante a relatar que foi em 2003, no governo Lula, que foi colocada em prática a política de congelamento do preço do botijão doméstico, que perdurou até o golpe de 2016. A compra pela Petrobrás da LiquiGas, a terceira maior empresa de evazamento e distribuição de GLP doméstico na época, foi importante para implantação desta política.

É necessário destacar também o lucro bruto registrado em 2017 e 2018 da LiquiGas de cerca de 1 bilhão e 100 mil reais em cada ano. Com este lucro, quem compra-la hoje, pelo valor ofertado, em 3 anos a empresa estaria "paga".

Sobre a justificativa que a privatização da LiquiGas forçaria o preço do GLP para uso doméstico e industrial ficar mais baixo, apresentada durante do governo Temer e agora com o governo Bolsonaro, fica insustentável quando compreendemos como funciona a precificação do produto.

Deste 1995, não há barreira legal para entrada de outros agentes na produção de GLP no Brasil. Mas na prática, a Petrobrás é a única produtora deste produto, seguindo a legislação brasileira onde o valor de venda e a quantidade de produto é definido pela Agência Nacional do Petróleo. Isto é, o volume que cada distribuidor receber de GLP é de acordo com o universo de vasilhames e o histórico de consumo, sendo que o preço de venda da Petrobrás para a distribuidoras (inclusive para a Liquigas) é igual.

Então a venda da LiquiGas não afetará a concorrência deste mercado, mas aumentar a concentração para um grupo somente, como ocorria antes de 2002, elimina a influência governamental na política de preços e de expansão de distribuição do produto.   Explicando em miúdos:  Não vai haver controle dos preços do GLP, deixando o consumidor refém de quem detém o controle da distribuição e revenda.

Tentei demonstrar com números e fatos o quão prejudicial é para nós brasileiros, esta política energética imposta pelo governo Temer, e agora mais fortemente pelo governo Bolsonaro. O que adianta ganharmos salário-mínimo, para comprar cestas básicas, se o acesso ao gás estará prejudicado?

Espero que eu tenha conseguido provocar um mínimo de reflexão sobre o que é dito nos telejornais, jornais, revistas de grande circulação e o que é fato. Não aceite as informações como verdadeiras no primeiro momento. Questione! Busque outras versões.

"Quem não se movimenta, não sente as correntes que o prendem." - Rosa Luxemburgo.

Fonte:

1 - encurtador.com.br/HIUY6

2 - https://www.sindigas.org.br

3 - https://appweb.liquigas.com.br/relatorioanual/2018/docs/RA-DC-2018-VFINALDiagramada.pdf

4 - https://www.claudionunes.com.br/l/o-preco-do-gas-vai-cair/

5 - https://www.prateleiradeativos.com/acoes/liquigas-conheca-nova-empresa-do-grupo/  

6 - https://www.ineep.org.br/