Direito a defesa do cidadão do bem!

 Semana passada além da pandemia, as pautas colocadas pelo governo e pela mídia foram as operações da Polícia Federal, a defesa do governo de mais flexibilização da compra e porte de armas de fogo, e as manifestações de rua nos Estados Unidos e do Brasil que ocorreram no domingo(30/05) e segunda (31/05)).

Eu não consigo respirar!

A criminalização das manifestações de rua pelo presidente dos EUA e pelo brasileiro tendo como tema a democracia (Brasil) e contra a violência (Brasil e EUA), puxadas por parte das torcidas organizadas de futebol (Brasil), reflete o pensamento distorcido de parte da população que compra a ideia da bancada da bala do congresso (congressistas defensores da flexibilização), do governo federal (promessa de campanha) e das fabricantes e importadores de armas, munições e acessórios.

Eu não consigo Respirar!

O cidadão negro morto pela polícia americana não foi um fato isolado naquele país. Existem exclusões de direitos desta parte da população americana que resulta numa violenta de autoridade e precarização social. A pandemia do #Covid_19 tem mostrado de uma forma muito cruel as consequencias do tratamento diferenciado entre brancos e negros.  Destaco o fato de representar a maior parcela entre os mortos pelo #Covid_19.

No Brasil se diferencia em relação a profundidade e largura do abismo que separa os brancos dos negros e índios, no que se refere ao direito do acesso ao emprego em condições de igualdade inclusive na remuneração; à educação em todos os níveis, à cultura (acesso e não discriminação), segurança e saúde.

Gostaria que me acompanhasse nessa reflexão de hoje.

Eu não consigo respirar!

Em plena pandemia, onde todos sabem que deve-se evitar aglomerações, houve marcação de uma manifestação pela vida e pela democracia em algumas capitais. Será que o "copo não está ficando cheio" da população negra do país? 

Os apoiadores do governo já fazem estes tipos de atos todos os domingos. Verdade. Porém é algo que se iniciou com a convocação ou incentivo do governo.

As manifestações realizadas neste último domingo tinham o objetivo de pedir que não os matem dentro e nem fora de suas casas. Pediam que seja defendida a democracia.

Eu não consigo respirar!

E tudo indica que nos próximos finais de semana outras manifestações ocorrerão em mais capitais.

Se a recomendação é #ficaemcasa neste período da pandemia, onde seria o local mais protegido? Em casa. Como seguir esta orientação se o Estado entra ou permite que outros entrem, assassinando os brasileiros negros, fragilizando ainda mais a sensação de segurança?

O que resta é a rua. Lutando pela vida, contra o Estado opressor e contra a pandemia.

Eu não consigo respirar!

Neste turbilhão de informações vem em minha mente os brasileiros e brasileiras que defendem a flexibilização do acesso às armas de fogo. Não tem como ignorar as estatísticas e as incoerências dos discursos do governo federal.

Considerando quase cem por cento das armas apreendidas pela polícia são armas nacionais, e que a maioria dos assassinatos são de brasileiros negros, qual o objetivo da flexibilização mesmo?

Eu não consigo respirar!

Considerando que a manifestação é direito do povo, porque o tratamento diferenciado nas manifestações principalmente em São Paulo e Rio pelos agentes do Estado? Por que a predominância dos participantes que defendiam a democracia e a não violência eram de negros e foram estes que foram dispersados através de gás e bombas?

No Brasil temos o direito à manifestação. Porém, ao que parece, seria permitido as manifestações com pessoas armadas, e não uma marcha de cidadãos e cidadãs que lutam contra a violência proposital e direcionada.

Eu não consigo respirar!

Considerando que a orientação é de #ficaemcasa, por qual motivo os governos municipais e estaduais não dispersaram os manifestantes a favor do Bolsonaro nas semanas anteriores? E tinha o ingrediente a mais que eram as pautas de defesa da intervenção militar e o fim do congresso e do STF, que são posturas criminosas.

Entendo que proteger nossa saúde e de nossos familiares não garante somente a luta amanhã, mas é uma forma de luta de hoje, contra quem nos quer nos matar.

Porém condenar quem vai à rua se manifestar contra o Estado o qual continua matando até durante a pandemia é um crime maior ainda.

Fonte: Jornal Jundiaí
Fonte: Jornal Jundiaí

Eu não consigo respirar!

E as lideranças dos movimentos sociais de esquerda tem uma grande parcela de culpa, por não terem tido celeridade em criar formas de luta e resistência. As ações se concentram somente na internet, esquecendo-se de grande parcela da população que sofre sem acesso à rede além de outros  serviços básicos.

De minha parte farei hoje, até aparecer outra proposta de luta e resistência, que é colocar um pano preto no portão de minha casa. QUEM SABE VOCÊ PODE COLOCAR NA SUA PORTA OU JANELA?

Luto pelas mortes de brasileiros e brasileiras negros que morreram durante este período que escrevo este artigo, porém este meu luto vem do verbo Lutar!

#Vidasnegrasimportam #Somos70porcento #macae #privatizarfazmalaobrasil

#blacklivesmatter